Quando se fala de fluxo de caixa, o que vem na cabeça de uma pessoa que não está envolvida diretamente na vida empresarial?

Ter um saldo bancário sempre no Azul? Limite de crédito ou empréstimo na hora? Não ter restrições? Ter uma reserva que possa utilizar a qualquer momento?

Pode-se dizer que sim, mas para uma empresa como seria essa definição?

Desde o começo da pandemia mundial da covid-19, muitos empresários foram pegos de surpresas, afinal, ninguém e/ou parte dos mesmos não esperavam tamanho impacto. Isso refletiu em alguns casos trágicos, muitas empresas e comércios fecharam suas portas. Houve um aumento número de demissões e diversos segmentos não puderam funcionar devido aos decretos estaduais e municipais, somente as atividades essenciais estavam liberadas para atendimento e com algumas restrições.

Mas aí vem a pergunta: qual a relação entre Fluxo de Caixa x Pandemia?

Podemos definir da seguinte forma: antes da Pandemia, boa parte dos empresários não olhavam o fluxo de caixa como um instrumento para tomadas de decisões e nem sabiam de todas suas receitas e despesas. Com isso, seus recursos não tinham a finalidade para investimento, principalmente financeiro. É necessário ter um fundo de reserva para qualquer imprevisto que venha a ocorrer.

Devido à falta de visão para o setor financeiro que muitos empresários encerraram suas atividades, por falta de recursos para tentar se manter no mercado, que cada dia fica mais competitivo. Essa crise pandêmica em que enfrentamos, está impactando a todos, seja pessoa física ou jurídica.

Mas com tudo isso acontecendo, podemos afirmar que os empresários buscarão uma visão mais ampla do seu fluxo de caixa, detalhando suas receitas e despesas. Atitude primordial para um negócio dar certo, pois indica mais solidez aos projetos. Como já vimos anteriormente, o fluxo de caixa ajuda muito a vida do empreendedor, pois é por meio do histórico desses fluxos que tudo é analisado e o gestor consegue se planejar de fato, até mesmo prever o que fazer em crises econômicas. Além de claro, identificar possíveis gastos a mais em algum setor, a fim de economizar e adequar os lugares certos.

E como será o Pós-Pandemia?

Como dizem por aí: após toda a crise, tem um aprendizado. Vemos que o fluxo de caixa que já era de extrema importância, se tornou o instrumento de gestão essencial dentro de uma organização para tomada de decisões importantes.

O fluxo de caixa é a espinha dorsal da empresa. Sem ele é impossível saber quando haverá caixa suficiente para sustentar as operações ou quando será necessário financiamentos bancários. Empresas que continuamente tenham falta de caixa e que necessitem de empréstimos de última hora, poderão perceber como é difícil encontrar bancos que as financie. (GITMAN, 2002, p.586).

Efetuar o planejamento com intuito de analisar as ações a serem realizadas é ter estimativas de recursos e definir as responsabilidades para o alcance das metas estabelecidas.

Planejar é tomar decisões, prever no presente o que vai acontecer no futuro, é uma atividade mental. É pensar antes de fazer. É estabelecer meios para alcançar os objetivos fixados. Planejar implica definir objetivos, qualificar metas, determinar prazos e selecionar recursos. É a coordenação antecipada do comportamento futuro. Planejar é um ato de criação. É definir um futuro desejado e os meios eficazes para alcançá-lo. (FREITAS, 1998, p.08).

 

Como fazer um fluxo de caixa? Caderno ou planilha?

Alguns anos atrás poderia dizer que sim, mas hoje tudo está revolucionário, com novas tecnologias e investimentos. Mas é fato que muitas pessoas ainda não compreendem o valor da automação para certos processos relacionados ao controle financeiro de uma empresa.

Preencher planilhas de fluxo de caixa pode ser uma boa saída – desde que exista muito cuidado na hora de inserir as informações e alimentá-las. Qualquer erro humano pode resultar em um cenário financeiro irreal para os administradores da empresa e esses podem tomar decisões erradas que ocasionalmente prejudicará o caixa da empresa.

A tecnologia está cada vez mais a favor de quem busca automatizar esses processos. A automação surge para garantir uma economia de tempo que se transforma em produtividade para outras tarefas que necessitam muito mais do olhar analítico humano. Investir em serviços de automação é poder tomar decisões mais direcionadas para sua empresa.

Não pense no que será gasto na aquisição de um sistema. Hoje em dia existem empresas especializadas na prestação de serviços financeiros, onde o empresário pode ter em suas mãos, dados reais e concretos da empresa, como por exemplo o faturamento, despesas e inadimplências. Possibilitando ao empresário, mais foco no seu negócio. O resultado disso? Além do aumento do sucesso e lucratividade, ainda estará preparado para imprevistos.

Como está a saúde financeira da sua empresa?

Tenha em mãos a bússola e a visão do farol para lhe guiar. Entre em contato conosco agora mesmo e não deixe de nos acompanhar nas nossas redes sociais!

 

Adilson de Sousa

MBA em Controladoria

Graduado em Administração de Empresas